fbpx

Festival Internacional de Circo em Goiânia

Espetáculos, oficinas e interação com o público é o que promete a organização do evento. O festival é aberto para toda a comunidade

O Festival Internacional de Circo Basileu França começa nesta quinta-feira (14) e segue até domingo (17). Nesses quatro dias, o público terá acesso aos espetáculos (presenciais e online), oficinas, aulas e encontros. O evento busca integrar jovens formandos com artistas profissionais e personalidades da área circense em um mesmo ambiente. Nesta primeira edição, o foco é potencializar a força do Circo Goiano. Além de difundir essa arte milenar para o público em geral. O Festival Internacional de Circo Basileu França começa nesta quinta-feira (14) e segue até domingo (17).

Nesses quatro dias, o público terá acesso aos espetáculos (presenciais e online), oficinas, aulas e encontros. O evento busca integrar jovens formandos com artistas profissionais e personalidades da área circense em um mesmo ambiente. Nesta primeira edição, o foco é potencializar a força do Circo Goiano. Além de difundir essa arte milenar para o público em geral.

Design sem nome 4

Foto reprodução: Cinthia Oliveira

De acordo com o coordenador da área de Circo da EFG em Artes Basileu França, Rodrigo Mallet, a expectativa maior é trazer a comunidade para dentro do teatro para assistir aos espetáculos. “Queremos mostrar que a produção circense goiana é potente e que temos muito para dizer”, enfatiza. De acordo com o coordenador da área de Circo da EFG em Artes Basileu França, Rodrigo Mallet, a expectativa maior é trazer a comunidade para dentro do teatro para assistir aos espetáculos. “Queremos mostrar que a produção circense goiana é potente e que temos muito para dizer”, enfatiza.

A abertura do festival acontece quinta (14), às 19h, com o espetáculo “Cartolagem”, do Corpo Circense Basileu França, no Teatro Escola. Na sexta-feira (15), às 14h vai acontecer na lona do Circo, uma aula espetáculo “Interfaces Aéreas” com Cauê Marques. Seguindo a programação, no canal da escola será exibido o Varieté Multicultural. À noite, a partir das 20h, o Circo Laheto apresenta “Circo, Magia e Estripulia”, no teatro. A abertura do festival acontece quinta (14), às 19h, com o espetáculo “Cartolagem”, do Corpo Circense Basileu França, no Teatro Escola. Na sexta-feira (15), às 14h vai acontecer na lona do Circo, uma aula espetáculo “Interfaces Aéreas” com Cauê Marques. Seguindo a programação, no canal da escola será exibido o Varieté Multicultural. À noite, a partir das 20h, o Circo Laheto apresenta “Circo, Magia e Estripulia”, no teatro.

No sábado (16), a partir das 14h, na lona de Circo acontece a oficina “Um pensar pedagógico sobre as Artes Circenses”, com o Marco Bortoleto. Logo depois, às 17h, a Cia Corpo na Contramão apresenta-se no teatro com o espetáculo “Minha Vida de Palhaço”.  A última atração da noite será às 20h, com Saracura do Brejo no “Experimento 360”. No sábado (16), a partir das 14h, na lona de Circo acontece a oficina “Um pensar pedagógico sobre as Artes Circenses”, com o Marco Bortoleto. Logo depois, às 17h, a Cia Corpo na Contramão apresenta-se no teatro com o espetáculo “Minha Vida de Palhaço”.  A última atração da noite será às 20h, com Saracura do Brejo no “Experimento 360”.

O último dia de festival (17/04), na lona, terá a oficina “Parada de Mãos”, com o acróbata Helder Vilela. Já no Teatro Escola Basileu França, o público vai poder assistir às 17h, o espetáculo “O Planeta é Nossa Casa” de Pinne Magique. O encerramento será às 20h, com o “Cabaré de Gala” com a participação de diversos artistas, inclusive, Helder Vilela, que já integrou o Cirque du Soleil. O último dia de festival (17/04), na lona, terá a oficina “Parada de Mãos”, com o acróbata Helder Vilela. Já no Teatro Escola Basileu França, o público vai poder assistir às 17h, o espetáculo “O Planeta é Nossa Casa” de Pinne Magique. O encerramento será às 20h, com o “Cabaré de Gala” com a participação de diversos artistas, inclusive, Helder Vilela, que já integrou o Cirque du Soleil.

“A mensagem que pretendemos passar é mostrar a multiplicidade do Circo. Pois, temos diversas possibilidades artísticas, pedagógicas e também de conexões. O Circo tem essa força de conectar as pessoas”, finaliza Mallet. “A mensagem que pretendemos passar é mostrar a multiplicidade do Circo. Pois, temos diversas possibilidades artísticas, pedagógicas e também de conexões. O Circo tem essa força de conectar as pessoas”, finaliza Mallet.